Aff, Mãe não tem paz!

Se isso, se aquilo… o texto traumatiza qualquer aspirante à Mamãe mas te garanto que se optar em ser Mãe vai ver que fez a escolha certa. Ou não? Hahahaha….eu fiz!

“Se você trabalha, você está perdendo a infância do seu filho.

Se você fica em casa, você está jogando sua carreira no lixo e não será exemplo de mulher independente.

Se você amamenta, precisa ser em livre demanda, caso contrário você está “regulando” o amor.

Se você da fórmula, então seu filho nunca vai entender o verdadeiro amor da amamentação.

Se você disciplina e coloca o seu filho de “castigo”, você é uma bruxa que está destruindo o emocional desta pobre criança.

Se você não coloca o seu filho de castigo, você é uma irresponsável que está criando um assassino em série.

Se você coloca o seu filho para dormir no quarto dele, você é uma egoísta insensível.

Se você compartilha a sua cama, ele será uma pessoa completamente dependente e jamais irá se ajustar na sociedade.

Se você vacina o seu filho, você está infestando o corpo da criança com químicos tóxicos que podem causar autismo.

Se você não vacina o seu filho, você é uma descompensada que está deixando a porta aberta para graves doenças.

Se você treina o seu filho para dormir sozinho, você é cruel e desumana.

Se você faz o seu filho dormir no colo, você está estragando a criança, e o futuro de ambos será duro.

Se você deixa seu filho com os avós e vai viajar com o marido, você não tem coração.

Se você nunca viaja só com o marido, você é insensata e está abrindo mão do seu casamento.

Se você tem parto vaginal, você gosta de sofrer e sua vagina nunca mais será a mesma.

Se você tem parto cesariana, você é medrosa e jamais conhecerá a emoção de dar a luz.

Se você se exercita durante a gravidez, sinal que é uma neurótica superficial.

Se você passa a gravidez sonolenta e cansada, certeza que vai “embarangar”.

Que grande ironia justo nós mães, os seres mais altruístas do planeta, criamos uma guerra estúpida, onde somos as maiores vítimas dos nossos preconceitos.

A forma como eu crio o meu filho não é para todo mundo. E a forma como você cria o seu filho também não é para todo mundo. Casas diferentes, mães diferentes, rotinas diferentes, e acima de tudo: Crianças diferentes.”

Eu, Carla, chego à conclusão que só precisamos de apoio mas por que é tão difícil apoiarmos uns aos outros? Talvez porque criticar seja muito mais fácil, cômodo e menos compromisso.

Autor desconhecido.

Post Carla BiscaldiAfeto de Mãe

Comentários

Leave a comment