Aleitamento Materno

São tantas dúvidas e insegurança quando o assunto é Aleitamento Materno que colocamos aqui uma orientação para as mamães.

1. Amamentação sob livre demanda: sempre que o bebê apresentar sinais de fome

2. Amamentar em livre demanda é muito importante porque:

  • garante a produção de leite
  • ajuda a manter o bebê calmo e satisfeito, reduzindo o choro e a tentação de oferecer suplementos
  • as mães aprendem mais rapidamente a responderem às necessidades de seus filhos
  • previne ingurgitamento mamário e mastite

3. Horários de mamada e duração

  • as mães NÃO devem ser orientadas sobre horários de mamada 92/2 horas ou 3/3 horas)
  • a duração da mamada deverá ser observado os sinais de saciedade do RN
    • o bebê solta o peito sozinho
    • dorme ao final da mamada
  • o RN deverá ser levado ao peito sempre que apresentar sinais de fome

4. Posicionamento da mãe e bebê na hora de amamentar

  • a mãe deve estar confortável
  • o bebê deve estar perto do corpo da mãe “olhando” para o seio
  • a cabeça e o corpo do bebê devem formar uma linha reta
  • a cabeça e os ombros do bebê devem estar apoiados

5. Boa “pega” da mama e sucção adequada

  • a boca do bebê bem aberta e o lábio inferior projetado para fora; o queixo tocando a mama
  • a aréola deve estar mais visível acima do que abaixo da boca do bebê
  • as bochechas devem estar cheias, com sons de deglutição lenta e profunda e do bebê engolindo o leite

6. Técnica para ordenha manual

7. É importante que todas as mães que amamentam, saibam como extrair o leite com as mãos porque:

  • ajuda com a “pega” da mama pelo bebê quando a mesma estiver muito cheia
  • alivia o edema nas mamas
  • a mãe pode precisar extrair leite para manter a sua produção, caso ela e o bebê estejam separados

Afeto-de-Mãe-Amamentação-2

8. Efeitos da administração de fórmulas lácteas ou água antes da apojadura (descida do leite):

  • menos vontade do bebê para mamar, provocando redução na produção do leite
  • “confusão dos bicos” se for usada mamadeira e/ou chuca, chupeta e protetor de mamilos
  • aumento do risco de desenvolver alergia
  • risco de infecções para o bebê

9. Causas de traumas mamilares, ingurgitamento e pouca produção de leite:

  • posicionamento e/ou pega incorreta da mama
  • bebê não abocanha quantidade suficiente da mama
  • amamentação pouco frequente
  • sucção inadequada
  • uso de mamadeira, chuca e/ou chupeta
  • suplementação precoce
  • não mamar por livre demanda
  • extração ineficiente do leite da mama
  • uso de compressas quentes

10. Para prevenir o ingurgitamento mamário e traumas mamilares:

  • amamentar em livre demanda observando os sinais de fome
  • “pega” correta da mama
  • encontrar meios de relaxar, aliviar o estresse, descansar
  • não orientar o uso de compressas quentes, frias e/ou banhos quentes

11. Práticas de Sala de Parto

  • contato pele a pele (mãe RN sem nenhuma roupa ou campo) desde o nascimento e manutenção por no mínimo 1 hora
  • a separação deverá ser mínima na primeira hora de vida
  • ajudar as mães com o correto posicionamento e pega do bebê na mama e intervir quando RN apresentar sinais de fome
  • caso tenha acompanhante este deverá ser estimulado a participar deste momento

12. Importância do contato pele a pele entre a mãe e bebê logo após o parto:

  • mantém o bebê aquecido
  • contribui para um bom momento de amamentação
  • regula a frequência cardíaca e a respiração do bebê
  • acalma a mãe
  • estimula a amamentação em livre demanda
  • criação de vínculo afetivo entre a mãe e o bebê
  • aumenta o tempo de amamentação, comparado com as mães que protelam a amamentação

13. Manutenção do alojamento conjunto:

  • a mãe se familiariza com a amamentação
  • a mãe aprende a segurar e acalentar o bebê
  • estimula a amamentação sobre livre demanda
  • melhora autoconfiança sobre livre demanda
  • melhora autoconfiança materna com cuidados com RN
  • o bebê fica próximo do pai e da mãe (estimula o vínculo familiar)
  • o bebê é menos exposto às infecções

14. Mães separadas do bebê a equipe devará:

  • orientar ordenha a cada 3 horas
  • estimular a visita ao RN no berçario
  • encaminhar ao posto de coleta diariamente

15. Como as mães podem ter certeza de que elas produzem leite suficiente para seu bebê:

  • A mãe realiza troca de fraldas com presença de urina abundante
  • bebê mamar pelo menos 8 vezes em 24 horas
  • É impossível ouvir ou ver a sua deglutição

16. Risco para não amamentar ou para desmame precoce:

  • falta de experiência anterior com amamentação
  • desmame precoce do filho anterior
  • intenção de não amamentar
  • mãe adolescente
  • trabalho fora de casa
  • aquisição de mamadeiras e chupetas
  • atitudes negativas do pai ou outros familiares
  • insucesso familiar na prática da amamentação
  • a mulher considerar o leite artificial sem riscos para a saúde da criança
  • problemas anteriores com a mama
  • dificuldade na pega e na técnica de sucção do RN ao seio
fotos: Google

por Carla Ikeda Biscaldi Clobucar

Comentários

Comentários