Alfabetização Emocional

Já ouviram falar em Alfabetização Emocional? Trata-se do saber decifrar e comunicar os sentimentos. E como uma criança faz isso? Vou te explicar. Vai entender e conseguir ajudar o seu filho.

No dia de partir de Porto de Galinhas, nas nossas férias de julho/2019, a Isabella após se despedir das novas amigas ficou quietinha sem muitas palavras. Eu percebi que ficou meio tristinha mas pega mala dali, checa documento, passagem, procura portão de embarque e tal que nem me toquei que era um momento realmente sensível.

Quando me dei conta, a envolvi nos meus abraços e disse o quanto eu tinha achado a nossa viagem legal e que eu esperava poder ver nossos novos amigos em breve. Não foi surpresa, ela ter começado a chorar sentida e dizer que tinha sido a melhor viagem e que aquele era o pior dia da vida dela pois nunca mais ia ver as amigas que gostou tanto de conhecer. Chorou tanto gente. Sentida!

Nessas horas não acho que temos que falar que simplesmente aquilo vai passar pois as crianças precisam aprender a lidar com essas frustrações agora para que no futuro tenham condições de se compreenderem e ter uma boa solução para lidar com os seus sentimentos. Inclusive saber manifestá-los.

Por fim, me pediu para brincar com as amiguinhas “um dia” em São Paulo.

A Alfabetização Emocional não se limita a decifrar apenas sinais e sim saber comunicar os próprios sentimentos de forma adequada e produtiva, perceber que as nossas emoções influenciam as nossas decisões diárias e refletir sempre em como nós nos sentimos em diferentes situações.

Por isso escute o seu filho quando, da maneira imatura dele, exteriorizar os seus sentimentos e não apenas diga as famosas frases: “não é motivo para chorar“, “vai passar”, “não é o fim do mundo“.

Em vez disso, ensine a lidar com esse turbilhão de novidades para que se torne um adulto seguro.

E agora este assunto está mais familiar?

Beijos.

Carla Biscaldi

Comentários

Leave a comment