Cinema: Hotel Transylvania 3 – Férias Monstruosas

Solitário e infeliz, buscando um novo amor na internet, Dracula é surpreendido com um presente da querida filha: férias em um cruzeiro. Inicialmente resistente à ideia, ele acaba engajado no passeio ao se encantar pela comandante, que, no entanto, esconde um segredo nada amigável.

Data de lançamento: 12 de julho de 2018 (Brasil)
Música composta por: Mark Mothersbaugh
Detalhes Técnicos:
Título original: Hotel Transylvania 3 – Summer Vacation
Distribuidor SONY PICTURES
Ano de produção 2018
Tipo de filme longa-metragem
Curiosidades 1 curiosidade
Bilheteria no Brasil 910 356 entradas
Orçamento
Idiomas Inglês
Formato de produção
Cor Colorido

À primeira vista, o subtítulo Férias Monstruosas engana justamente pela ideia implícita de ser este um mero gatilho para trazer de volta personagens queridos. Além de um certo frescor, a mudança de ambiente permite que o diretor Genndy Tartakovsky vá além nas brincadeiras em torno do universo dos monstros, mantendo sempre a proposta de piadas rápidas, recriações do Triângulo das Bermudas e da cidade perdida de Atlântida. Todas situações que conseguem abrir o sorriso nos pais sem deixar os menores entediados, graças à proposta infantilizada da franquia como um todo.

Além de tais novidades, há também uma certa mudança de foco na narrativa: desta vez, não é Drac quem teme perder a filhota Mavis, mas justamente o contrário. Tudo porque, após 100 anos sozinho, papai vampiro está agora de coração aberto para um novo amor – ou “tchan”. A busca por uma nova companheira rende situações bem-humoradas, como a pesquisa via aplicativo de celular, habilmente modificada para que os trocadilhos façam rir em português. Inclusive, é importante ressaltar a qualidade da dublagem brasileira neste sentido. Além do uso de um punhado de gírias locais – de vale night ao consagrado miga, sua louca!, passando por pinto no lixo, mozão e o paulistíssimo meu -, há também uma sutil brincadeira em torno da banda formada por peixes, cuja sonoridade lembra demais o swing de Wilson Simonal.

Outro acerto desta sequência é o belíssimo traço cartunesco da novata Erica, a capitã do cruzeiro que conquista o coração de Drac, que lembra demais os eternos Tintin e Betty Boop. Junta-se a isso as tradicionais referências visuais presentes na franquia, aqui citando de A Noiva de Frankenstein e Hairspray a uma escancarada homenagem a Meu Amigo Totoro, e ainda a divertida batalha musical presente no desfecho do longa-metragem, pela precisão na escolha das canções e também pela cutucada implícita ao ritmo bate-estaca que tanto sucesso faz nas raves mundo afora.

Hotel Transilvânia 3 segue a fórmula já consagrada pelos filmes anteriores, com personagens carismáticos fora de sua habitual zona de conforto. O brilho maior, como de hábito, fica por conta do Drac dublado (no Brasil) por Alexandre Moreno, sempre alternando o tom pomposo à galhofa necessária, especialmente quando o cupido o acerta em cheio. Uma sequência divertida que consegue ir além do clichê da típica viagem de férias ao trazer elementos novos que brilham intensamente, tanto pela nostalgia quanto pela dinâmica proposta.

Link do Trailer Oficial:

Fonte: Google e adorocinema.com

Filme e Imagens: Google e Acervo pessoal de Carla Biscaldi

Comentários

Leave a comment