Disciplina positiva: chega de castigos!

Muito tem se falado sobre a disciplina positiva. Por quantas vezes você parou para pensar e achou que estava fazendo tudo de errado na forma como educar os seus filhos e se sentiu literalmente perdida e sem rumo diante do caos em sua casa pela sequência de castigos? Somos seres humanos, as vezes perdemos sim a linha de frente perante a eles e nos questionamos se estarmos seguindo o caminho correto na formação de uma criança.

Não existem manuais de boas práticas em como agir, fazer e ter sucesso na educação quando se trata de filhos, chegava horas que com gêmeos que me sentia sem rumo, perdida e me perguntei por muitas vezes, o que era que estava fazendo de errado? Por qual motivo não conseguia ter controle de tal situação, a adulta nessa história sou eu, mas eu não sinceramente não sabia o que acontecia.

Foi quando comecei a ler mais sobre esse assunto e percebi tamanha diferença na educação e uma forma mais leve de “levar” os dois.

A disciplina positiva é baseada nos livros escritos por Jane Nelsen, que aposta na firmeza com gentileza, sem punições ou recompensas, para educá-las.

Desenvolvida pelos psiquiatras Alfred Adler e Rudolf Dreikurs, profissionais que viveram o período pós-guerra em Viena, a filosofia olha para os indivíduos e pensa sobre como cada um deles precisa ser aceito e identificado em suas relações.  Adler acreditava que as crianças precisavam de ordem (estrutura e responsabilidade), mas também liberdade para criarem conexões com seu entorno. Para isso, sugere ferramentas, ou seja, comportamentos, que você pode ter na sua rotina pensando em uma relação mais a longo prazo.

Disciplina Positiva baseia-se no conceito de que disciplina pode ser ensinada com firmeza e gentileza ao mesmo tempo, sem punição, castigo ou recompensa. Esta filosofia apresenta o caminho da meio entre o autoritarismo e a permissividade, resultando em mais de 50 ferramentas para ajudar os adultos a desenvolverem as habilidades que tanto queremos para as nossas crianças.

Quando usamos as ferramentas de Disciplina Positiva o dia se torna mais harmonioso, sendo mais prazeroso ensinar as crianças na escola ou estar com elas em casa. Uma das ferramentas em Disciplina Positiva é que os “erros são ótimas oportunidades de aprendizagem”. As crianças aprendem nos observando. Os adultos podem e irão errar, mas buscarão reparar seus erros e, as vezes, até pedir desculpas para as crianças. Isso dá permissão às crianças para errarem também, desenvolvendo soluções para consertar o seus erros, em vez de ficarem presos na nuvem obscura da culpa.

Para trabalhar essas ferramentas, por exemplo, é importante demonstrar que você é um bom ouvinte. Cada uma das crianças precisa ter o seu tempo de fala em separado. Olhe nos olhos, fale na altura do olhar da criança, diga que está atento e que o que a criança diz é importante.

Demonstre empatia, coloque-se no lugar da criança e reforce que você entende e valida o sentimento delas. Ainda, ofereça ajuda, ao invés de impor, experimente também pedir ajuda, no lugar de apenas cobrar. Frases do tipo “Como posso te ajudar?”, “Como vamos resolver essa situação?” ou ainda “Eu te entendo e imagino como está se sentindo” precisam estar inclusas nas conversas diárias.

Mas, quando a situação sair do controle, é preciso admitir as falhas. Outro ponto importante estimulado pela filosofia é lidar com a culpa.

Quando estou usando a disciplina positiva?

Conheça um pouco mais da abordagem:

1. Preocupação em desenvolver o senso de aceitação (conexão) e importância (significado) no seu contexto social; precisamos ajudar a a criança a se sentir conectada, sentir se que ela é aceita em sua família/escola e capaz de contribuir.

2. A empatia é a ferramenta mais poderosa de uma relação. É ter a capacidade de entender a perspectiva da outra pessoa, colaborar na resolução de problemas, ser gentil e firme ao mesmo tempo.

3. O respeito é sempre mútuo em relacionamentos nos quais cada pessoa tem direitos iguais à dignidade. Os adultos tornam-se o modelo de respeito.

4. Ao identificar um comportamento inapropriado, não há a necessidade de humilhar ou culpar a criança, mas focar em como resolver ou mudar aquele comportamento. Estabelecer a melhor estratégia para cumprir o que foi mutuamente combinado entre pais e filhos.

5. Ser efetiva á longo prazo, considerar o que a criança está pensando, sentindo, aprendendo e decidindo sobre si mesma e sobre seu meio social – e sobre o que fazer no futuro para sobreviver ou para prosperar.

6. Ensinar habilidade sociais e de vida, como o respeito, cuidado com os outros, resolução de problemas e cooperação.

7. Incentivar as descobertas com as suas capacidades, encorajar o uso construtivo do seu poder pessoal e desenvolver autonomias.

Outras Ferramentas para a Disciplina Positiva para usar com seu filho:

  • Mantenha um relacionamento positivo
  • Use a empatia e o respeito
  • Pesquise sobre disciplina positiva
  • Entenda a necessidade não atendida
  • Trabalhe em conjunto para obter soluções
  • Seja proativo
  • Entenda as habilidades de desenvolvimento do seu filho
  • Crie um ambiente que propicie o “sim”
  • Aplique a disciplina através de brincadeiras
  • Mude as coisas para melhor
  • Fale sobre fatos, ao invés de ordens
  • Evite rotular
  • Faça pedidos usando afirmativas
  • Permita que aconteçam consequências naturais
  • Elogie com cuidado
  • “Use” o tempo, ao invés de “pedir” tempo
  • Use o tempo, também como pais
  • Converse com o seu filho, antes de intervir
  • Não obrigue seu filho a pedir desculpas
  • Dê conforto primeiro ao filho machucado
  • Ofereça escolhas
  • Seja sensível a fortes emoções
  • Pondere cuidadosamente, antes de impor a vontade dos pais
  • Use consequências lógicas com moderação e com compaixão
  • Use incentivos criativos com filhos mais velhos

Espero ter ajudado, você aplica em casa?

Conte para nós!

Comentários

Leave a comment