É hora de falar de política

O cenário político que estamos vivendo pode trazer às crianças muitas questões. Mas o que é isso que a mamãe e o papai estão dizendo?

Porque estão tão bravos? Quem são essas pessoas às quais eles falam tanto?

Navegando pela internet encontrei um texto  muito interessante que responde às essas perguntas e nos faz refletir sobre cidadania.

 image

Não podemos esquecer que as crianças aprendem por observação e esse talvez seja um bom momento para ensinar um pouco mais sobre o assunto.

A criança pode e deve exercer sua cidadania política. A política não é exercida somente participando do processo eleitoral por meio do voto. A cidadania política se exerce nos pequenos atos do cotidiano e não é menos importante.

A criança exerce sua cidadania no relacionamento com os outros, com a família, com o trabalho, com a escola, com os vizinhos. Aproveite o momento para incentivar a responsabilidade com a coletividade:  jogar lixo no lixo, não furar fila, respeitar os amigos, ajudar ao próximo são bons exemplos.

A seguir transcrevo o texto para vocês. Leiam com carinho.

“Independente do posicionamento ou partido político, esse é um momento fértil para falar sobre cidadania, liberdade e respeito. Aproveite esse momento fértil para passar conceitos positivos.

– Não use frases de violência
– Não use xingamentos ao se referir a pessoas contrárias a sua posição ideológica
– Fale sobre a necessidade de conviver respeitosamente com todos, inclusive aqueles que não concordam com você. Ensine sobre respeito ao outro.
– Aja de forma pacífica, mesmo em casa assistindo aos noticiários.
– Tenha paciência para responder aos muitos porquês.
– Mostre esperança e confiança no futuro.

Lembre-se que estamos formando os cidadãos do futuro, nosso exemplo é fundamental para criar a sociedade melhor que tanto queremos para nossos filhos. O papel de ensinar e explicar o mundo é seu, pai e mãe, não transfira para a escola, ou colegas. Aproveite esse momento e converse sobre política com seus filhos.”

Texto retirado da página:

Maezissima

por Ana Carolina Menegatti Fernandes

Comentários

Comentários