No dia 1º de junho comemora-se o Dia Mundial do Leite

E nesta data aproveitamos para deixar um recadinho aos homens: Beba mais leite!

Consumo de lácteos está associado com melhor memória de curto prazo em homens

Consumir produtos lácteos influencia positivamente a função cerebral, com a sua maior ingestão associada a uma melhor capacidade cognitiva e memória de curto prazo, e redução do declínio cognitivo e demência. Entretanto, estudos anteriores que analisaram essas associações não puderam descartar os efeitos de fatores de confundimento, como genética e ambiente familiar, que também são conhecidos por afetar a capacidade cognitiva.

Uma maneira de afastar os efeitos dos produtos lácteos, daqueles da genética e do ambiente familiar, seria estudando pares de gêmeos, e essa é exatamente a abordagem adotada por Soshiro Ogata e seus colegas da Osaka University Graduate School of Medicine. Em um novo estudo, os pesquisadores investigaram a relação entre a ingestão de produtos lácteos e a memória de curto prazo, usando pares de gêmeos, naturalmente combinados, para ajustar quase todos os fatores genéticos e ambientais familiares.

Afeto-de-Mãe-homem-beber-leite

Ogata e seus colegas coletaram dados do Osaka University Center for Twin Research e analisaram 178 pares de gêmeos japoneses. Para avaliar a memória de curto prazo, os pesquisadores pediram aos participantes que escutassem duas histórias curtas e, imediatamente, se lembrassem dos detalhes. Os pesquisadores avaliaram as dietas dos participantes, usando um questionário auto-administrado do histórico de alimentação. As fontes de lácteos dos participantes consistiram de leite com baixo e alto teor de gordura e iogurte.

Os pesquisadores descobriram que o maior consumo de produtos lácteos foi significativamente associado a uma melhor memória de curto prazo em homens, mesmo após o ajuste de vários fatores de confundimento, incluindo quase todos os genéticos e ambientais familiares.

A avaliação da memória de curto prazo pode ser usada para detectar insuficiência cognitiva leve e doença de Alzheimer. Os resultados de Ogata e seus colegas sugerem que comer mais produtos lácteos poderia, potencialmente, reduzir o declínio cognitivo, independente da genética e do ambiente familiar.

Um mecanismo potencial para explicar esse efeito envolve a relação entre o consumo de produtos lácteos e a redução do risco reduzido de desenvolvimento de diabetes tipo 2 e hipertensão, que são potenciais fatores de risco para o declínio mental. Os lácteos também contêm componentes nutricionais, como cálcio e vitamina B12, que são conhecidos por terem alguns efeitos cognitivos.

Os autores sugerem que estudos de seguimento poderiam medir os efeitos dos lácteos em outras habilidades cognitivas, além da memória de curto prazo. Estes estudos também poderiam investigar as diferenças entre os efeitos dos produtos lácteos com alto teor de gordura e com baixo teor de gordura sobre a função intelectual, já que estudos anteriores indicaram diferenças em seus efeitos

Texto: www.bebamaisleite.com.br

Imagens: Google

Postado por Carla Ikeda Biscaldi ClobucarAfeto de Mãe

Comentários

Comentários