Prevenção do H1N1 nas escolas

Como os casos de gripe H1N1 está bem grande, a grande preocupação de muitos pais é no ambiente escolar, onde inevitavelmente as crianças estão mais aglomeradas, então separamos algumas recomendações que nós pais devemos cobrar e avaliar se a escola está tomando medidas preventivas para essa gripe.

Envie uma circular para os familiares orientando sobre os sintomas e os cuidados gerais, além da importância de afastamento do aluno em caso suspeito;

Orientar os colaboradores a intensificar a lavagem das mãos e uso de soluções a base de álcool;

Quando as mãos estiverem visivelmente sujas ou tiverem entrado em contato com fluídos corpóreos como secreções nasais devem ser lavadas com água e sabão;

Ensinar as crianças como lavar as mãos corretamente inclusive limpar as unhas;

Intensificar a limpeza dos ambientes escolares, principalmente de maçanetas, torneiras, porta-papel, brinquedos, trocadores, bebedouros e computadores;

Orientar os alunos e colaboradores a não tocar com a boca no bico ejetor de água dos bebedouros;

Se possível deixar apenas o bico ejetor de água grande (que necessitam garrafas de água);

Colocar mais dispensadores de álcool gel nos ambientes, especialmente em pontos de maior circulação de pessoas como a entrada da escola e salas de aula;

A desinfecção de mesas e cadeiras deverá ser intensificada utilizando pano seco embebido em álcool 70% por 30 segundos ao final do período ou a cada troca de turma;

Orientar os professores sobre os sintomas para que possam identificá-los e comunicar aos pais;

Se possível manter as janelas abertas para melhor circulação do ar e evitar ar condicionado;

Aumentar a supervisão de crianças para evitar o compartilhamento de talheres, copos, canudos, alimentos e brinquedos;

Orientar os alunos a não compartilhar materiais (utensílios, canetas, borrachas, etc);

Orientar as crianças a evitar colocar as mãos nos olhos, nariz e boca (na medida do possível);

Orientar os familiares sobre a importância da vacinação;

Solicitar nova cópia da caderneta de vacinação após a campanha de vacinação;

Crianças de seis meses a menores de cinco anos: todas as crianças que receberam uma ou duas doses da vacina influenza sazonal em 2015, devem receber apenas uma dose em 2016.

Também deve ser considerado o esquema de duas doses para as crianças de seis meses a menores de nove anos de idade que serão vacinadas pela primeira vez, devendo-se agendar a segunda dose para 30 dias após a 1ª dose.

Orientar os familiares caso a criança apresente os sintomas deverá ser realizada avaliação médica e não deverá comparecer a escola (deverão permanecer em casa até 24 horas após o desaparecimento dos sintomas);

Pessoas com falta de ar, febre e tosse já estão sendo investigadas sobre a presença do vírus nas unidades hospitalares;

Orientar as crianças sobre o uso correto do álcool gel para evitar acidentes (ingestão acidental, uso inadequado);

Manter limpos os componentes do sistema de climatização para evitar a difusão e multiplicação de agentes nocivos a saúde conforme Portaria Nº 3.523/1998;

Se ocorrerem três ou mais casos de gripe na mesma turma notificar Unidade de Saúde e Vigilância Epidemiológica, ao realizar a notificação é necessário informar dados como; nome do aluno telefone para contato e também informar: início dos sintomas, medicações e avaliação médica;

Colaboradores que apresentarem febre acima de 38º.C, tosse e dor de garganta deverão ser orientados a procurar atendimento médico;

Se for possível escalonar a liberação das turmas para o recreio, com intervalos de 5 em 5 minutos, para manter o menor número possível de alunos no mesmo ambiente/ambiente de alimentação;

Manter o refeitório limpo antes, durante e após a distribuição dos alimentos;

Estimular, através de ações pedagógicas hábitos saudáveis como boa alimentação, atividade física, ingestão de líquidos e boa higiene para manter o sistema imunológico reforçado para enfrentar a gripe e outras doenças.

prevenção-cuidados

 Outras orientações:

Atualizar a lista de telefone dos alunos e colaboradores;

Identificar os telefones da Unidade Básica de Saúde e responsáveis pela vigilância epidemiológica da região onde está localizada a escola;

Identificar o telefone da unidade de saúde e hospital referência mais próximo da Escola;

As gestantes deverão evitar contato com pessoas que apresentem os sintomas.

Aquisição de álcool gel pelas Escolas:

Adquirir álcool 70% (líquido ou gel) de distribuidores autorizados;

A embalagem deve ser plástica e estar lacrada;

O rótulo deverá conter: nome produto, concentração (70% ou 77º GL), composição, modo de usar, precauções, advertências, validade, número do lote, nome do fabricante e CNPJ, nome o responsável técnico e número do conselho de classe, número do atendimento ao cliente e número do registro na Anvisa/MS;

Utilizar álcool com concentração de 70%;

Armazenar o álcool em local seguro, longe do alcance das crianças e fontes de calor, alimentos, bebidas e cosméticos.

Orientação para motoristas de transporte escolar

transporte-escolar-cuidados

Manter no transporte escolar as janelas abertas e reconhecer os sintomas da gripe para orientar o retorno destes alunos para casa e informar os pais e responsáveis.

Manter no carro de transporte álcool 70 % friccionando o mesmo nas mãos após o contato com portas, volante, alunos, ir ao banheiro, tossir, etc.

Oferecer as crianças álcool 70 % para fricção das mãos, antes de entrar no veículo.

Ao tossir ou espirrar, deve-se cobrir o nariz e a boca com lenços descartáveis. Este lenço utilizado deve ser descartado.

Caso não haja lenço ou toalha de papel prontamente disponíveis ao espirrar ou tossir, é preferível cobrir o nariz e a boca com a manga da camisa (“espirrar no cotovelo”) do que fazê-lo com as mãos, por meio das quais os germes são facilmente transferidos para outras pessoas ou para o ambiente (portas, janelas, bancos, cinto de segurança, volante, etc.).

Intensificar a limpeza e desinfecção dos carros, incluindo portas e maçanetas, poltronas, janelas, volante, cinto de segurança (parte metálica), etc. após o transporte das crianças.

Orientar os alunos a não compartilhar materiais (brinquedos, canetas, lapiseiras, borrachas, etc.) e utensílios (lanches, refrigerantes, batom, etc.

Compartilhe essa informação com a escola do seu filho.

Para saber mais sobre vacinas, sintomas e prevenção leia: http://afetodemae.com.br/tire-suas-duvidas-sobre-h1n1-sintomas-vacinas-prevencao/

Publicado por: Bianca Trindade Bresciani