Quando é hora de procurar um psicólogo infantil?

Você já teve aquela sensação de que santo de casa não faz milagre?

Pois é, ando me sentindo assim para lidar com algumas explosões de sentimentos que a Isabella anda apresentando e por isso sinto que agora é a hora de pedir ajuda.

Como acredito muito naquela frase que diz “cada macaco no seu galho” e apesar de ser mãe mega presente e sensível, eu cursei Engenharia e não Psicologia, por isso buscar a minha lógica nos sentimentos das pessoas mesmo que seja a minha filha, não rola com tanta facilidade assim.

Isabella anda com algumas atitudes que me chamam a atenção e me preocupam quando penso que aos 7 anos é muito dona de si e não sabe muito bem encaixar essa sua personalidade no dia a dia, levando a estar no extremo da irritabilidade em muitos momentos significativamente simples.

Por isso eu e o pai, também imerso na lógica da Engenharia, resolvemos que a ajuda de um profissional seria legal neste momento.

Como isso irá se desenrolar e nos ajudar eu ainda não sei ao certo mas tudo o que fazemos é sempre pensando no bem estar físico e emocional dos nossos pequenos e pedir ajuda com certeza é uma delas, afinal, não sabemos ou estamos preparados para ter todas as respostas nesta vida!

Muitos amiguinhos já tem esse acompanhamento profissional desde muito pequenos e são inúmeros os motivos que levaram esses pais a pedir ajuda mas no caso da Isabella só agora sentimos que a hora chegou.

Cito sobre seus amiguinhos porque acredito muito nisso, sabem? No “sentir” que é chegada a hora de fazer algo. Não fazer por fazer. Certos ou errados nós pais temos que acreditar nesse sentimento ou intuição. Vamos chamar do que quisermos!

De qualquer forma, sempre tive muito definido o momento de pedir essa ajuda, caso a intuição falhasse.

  • Alteração repentina ou exagerada no comportamento
  • Agressividade exagerada
  • Passividade exagerada
  • Problemas escolares
  • Saúde prejudicada sem causa biológica
  • Regressão em alguma fase do desenvolvimento

E essa é uma dica que quero deixar. Sempre observar e acompanhar bem de perto cada situação da vida dos nossos filhos, pois nos faz enxergar com clareza se precisam de alguma ajuda.

E eu agora, estou ansiosa para a primeira sessão….mãe né gente? Como não estar.

Alguém na mesma situação?

Beijos.

Carla Biscaldi

 

Comentários

Leave a comment