Terror Noturno

As madrugadas andam tensas aqui em casa. Grita “Mamãe” o tempo todo e corre pela casa sem parar de chorar. É desesperador.

Fico sem saber o que fazer. Apenas a abraço e repito palavras que possam acalmá-la. Percebo que apesar dos olhos abertos, não está acordada.

No intervalo de 15 dias isso aconteceu duas vezes e por isso é precipitado falar em Terror Noturno. É preciso ainda observar.

O que é o terror noturno?

Segundo estatísticas internacionais o terror noturno chega a atingir metade da população infantil. Trata-se de uma atividade anormal do sono que faz parte de uma categoria de manifestações noturnas conhecidas por parassonia. Falar e andar dormindo são formas de parassonia. É frequente em crianças de 2 a 5 anos.

O que acontece?

Os bebês acordam chorando no meio da madrugada e as crianças mais velhas gritam ou emitem sons sem nexo. A criança não reconhece ninguém e não para de chorar ou gritar.

Na maioria das vezes os pais se assustam mas o terror noturno não apresenta nenhum risco a saúde ou desenvolvimento da criança.

Terror noturno e pesadelo são a mesma coisa?

Os sonhos acontecem durante o sono R.E.M. (movimento rápido dos olhos) que é no final da madrugada e o terror noturno na primeira metade da noite quando ainda não se atingiu o sono R.E.M.

As crianças normalmente acordam depois de um pesadelo e no terror noturno, dificilmente acordam sozinhas.

Outra diferença é que é comum se lembrar dos pesadelos e com o terror noturno isso não acontece.

O que explica a ocorrência do terror noturno é o desenvolvimento do sistema nervoso central que ainda não é maduro o suficiente para realizar a transição entre sono e despertar.

Quando isso acontecer, nunca acorde a criança. Somente tome cuidado para que não esteja em risco de acidentes já que não tem consciência do que acontece.

Não se recomenda nem pegar a criança no colo, pois especialistas acreditam que isso pode prolongar o episódio.

Afeto-de-Mãe-terror-noturno-infantil-2

Procure manter uma rotina quanto ao sono da criança e nada de agitação antes de dormir. Isso previne a ocorrência do terror noturno.

Caso você desconfie de Terror Noturno, fique tento em que momento da noite os episódios acontecem, o quanto duram  e como a criança se comporta e então converse com o pediatra de sua confiança. Essas informações são muito importantes.

Se for confirmado o diagnóstico, o mais provável é que ele assegure que é uma situação transitória e que tenha cuidados com a segurança da criança e deixe que o episódio passe sozinho.

Intervenções com medicamentos só são recomendadas em casos que haja muito risco físico para a criança. Do contrário, mantenha a calma pois passará com o seu crescimento.

Alguém já passou por isso? Coloque as suas experiências nos comentários.

Postado por Carla Ikeda Biscaldi Clobucar

                       Afeto de Mãe

Imagens: Google

 

Comentários

Comentários