Zika Vírus, como se prevenir?

Muitas doenças estão sendo transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. O melhor tratamento? A prevenção.

A melhor forma de se evitar o Zika vírus, a Dengue e a febre Chikungunya é combater o acúmulo de água que são os locais mais propícios para a criação do mosquito transmissor.

Essas doenças são, na maioria das vezes, benignas nos adultos saudáveis, mas podem ser graves em crianças, idosos e em imunodeficientes. Nas mulheres grávidas o Zika vírus pode levar a complicações neurológicas importantes do feto, portanto a prevenção é a única solução.

As recomendações são:

  • Não deixar acumular água em sua casa ou quintal (cuidado com vasos de plantas, móveis e enfeites em áreas externas, latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros).
  • Fique de olho em poças d`água que se formam após a chuva.
  • Os bebês, as crianças e as gestantes devem de preferência usar roupas claras, e mangas e calças longas.
  • Usar preservativos para evitar a contaminação por via sexual.
  • Usar repelente contra insetos (consulte seu médico), inclusive na roupa, para aumentar a proteção.
  • Bebês menores de 6 meses não devem usar repelentes portanto a barreira é mecânica. Além das roupas adequadas, mosquiteiros e repelentes de tomada são boas opções.
Imagem: Google

Imagem: Google

 

Dicas para combater o mosquito e o foco das larvas. Fonte: http://www.dengue.org.br/dengue_prevenir.html
Dicas para combater o mosquito e o foco das larvas. Fonte: http://www.dengue.org.br/dengue_prevenir.html

O uso de repelentes deve ser feito sob orientação médica. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) esclarece que não há qualquer impedimento para a utilização destes produtos por mulheres grávidas, desde que estejam devidamente registrados na Agência e que sejam seguidas as instruções de uso descritas no rótulo de cada produto. Você pode encontrar informações especificas no site da Fiocruz.

 

Por: Ana Carolina Menegatti